sábado, 16 de abril de 2011

cada um por si e deus por mim!



tenho me sentido tão mais peixe fora d'água do que o habitual nesta realidade individualista que a minha vida "adulta" tem, infelizmente, presenciado... coisas pequenas, manifestações bestas de um individualismo fedido, sujo, egoísta... estão todos se escondendo mais e mais a cada dia dentro de seus lares "perfeitos", dentro de seus cotidianos "perfeitos", se cagando de medo que alguma coisa ou alguém interfira em suas vidas tão empenhadamente planejadas, rumo a um muito material e a um nada essencial... estão todos vivendo suas vidas, apenas suas vidas, nada mais do que suas vidas, literalmente fodendo para o que está ao redor, para o que sai do terreno do próprio umbigo... esse individualismo capacita as pessoas a se colocarem em uma posição de eterna vitimização de tudo... nesse mundo individual, o vilão é sempre o outro, o mocinho é sempre o "eu"... as dores das pessoas são sempre as mais insuportáveis, as tristezas são sempre as mais dramáticas, os tombos são sempre os mais altos...

PERAÍ!

que porra de mundo é esse!
véio do céu, puxa o freio de mão dessa nave que eu quero descer!
ah, tu não vai parar? tudo bem, abre essa porta mesmo assim, porque eu vou descer, com ou sem para-quedas!

EU NÃO SOU ASSIM! eu não quero isso para o meu coração, para o meu espírito!... é tão dolorido captar tudo isso... dolorido mesmo... dá um nó na garganta, um vazio triste, uma desesperança cinza... será que bendito são os que vivem sem pensar, os que simplesmente "aproveitam" a vida sem se atingir com nada?... ou será que estamos aqui para isso, para irmos contra essa maré tsunâmica, segurando com unhas, dentes e o que mais for possível nossos princípios, nossa anormalidade, que nos distingue dessa massa, dessa maioria umbigal?... não sei... não sei de mais nada... sei que não vou desistir...

estamos todos no mesmo barco, na mesma nave, no mesmo lugar!
não é complicado dar-se conta disso... é só olhar para o lado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário