terça-feira, 30 de julho de 2013

beijo de alexandre



não o conheço pessoalmente. o papo é via internet. não me pergunta como, mas a gente tem química. não sei se é fruto da minha carência. se é coisa de pele, mesmo sem toque. se é coisa do meu santo ter batido com o dele. sei que me excito só de ouvir o nome dele. alexandre é um nome forte em si. agora, melhor do que o nome é poder chamar alexandre de alê, assim, alê, um alê meio gemido.

alexandre é daqueles que te pegam pelo cangote. que sabe a dose da puxada. que infiltra os dedos pelos cabelos suavemente e que, quando tu se entrega àquelas mãos, ele dá aquela puxada que te faz soltar um “ai”, quase um “puxa mais”. e não te beija de primeira. antes, sente o cheiro da tua vontade, do teu hálito já entregue ao desejo de misturar essências. a outra mão te agarra forte, te pressiona contra o corpo dele. a pressão é tanta que te faz querer se mexer. e é exatamente isso que ele quer – que tu se mexa devagarzinho, só pra sentir o membro dele excitado. duro. só pra te enlouquecer. teu rosto enrubesce. não tem por onde sair tanto querer. ele não te beija o pescoço, ele te chupa o queixo. na tentativa se sair daquele tanto, senão tu vai gozar em pleno beijo, tu tenta distanciar os lábios dele que estão úmidos e se divertindo com os teus. tu tenta afastá-los com a delicadeza das mãos, dos dedos. e os dedos entram na dança, são igualmente lambidos. tu não se arrisca a atrapalhar tamanha intensidade. tu está molhada. e não quer abrir os olhos, porque tu não quer que aquilo acabe. ele passa a mão na tua cintura como quem tivesse te moldando e, sem sutileza, te aperta a bunda, assim, enchendo as mãos. mais um gemido te escapa entre os dentes. a esta altura, teu corpo já está tão mole, aquela moleza gostosa que só a excitação proporciona, que não consegue mais raciocinar. alexandre aproveita a molezinha, desgruda o teu corpo do dele e diz um “tenho que ir” mais deslavado do que não sei o que. e tu fica lá, em frangalhos. e ele vai embora. e não quer que tu vá atrás, porque, como bom ariano que é, gosta de dominar a arte da conquista... como se alguma arte fosse necessária depois do estrago que ele fez. 

2 comentários:

  1. Seus textos são excelentes, garota! Você escreve como há muito tempo não tinha visto.

    Sucesso, sucesso!

    - Virei fã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nossa, obrigada!
      eu poderia saber o teu nome para agradecer, né!
      mesmo assim, muito, muito, muito obrigada!
      abrazote!

      Excluir