segunda-feira, 14 de março de 2011

fitopaezando


14 de março.

cumpleaños do meu amigo fito páez.

começo o dia com "
cuando niño preguntaba si el río llegaría algún día al mar. Una voz que andaba por ahí me dijo: tiempo al tiempo'."

olho para o meu pulso esquerdo e vejo tatuado bem ali um
tiempo al tiempo, com ponteiros de um relógio guiados por veias movidas por um coração tão bom que torna esta bondade a minha maior virtude e o meu maior veneno. um tiempo al tiempo que me lembre o quanto é necessária e vital a paciência e a confiança no tempo, no destino e nessa força que guia os meus dias para um amanhã colorido e felizmente merecido.

começa a semana, o ano.
ontem, o faustão deseja a todos um feliz ano novo, já que o ano vai começar para os brasileiros amanhã... sinto uma vergonha imensa de ser quem eu sou, de estar onde estou, de ter esperado um desejo de feliz ano novo de um bossal televisivo para acordar como acordei hoje - disposta a começar o ano.

é óbvio que não foi o fausto silva o dono de tal motivação... essa foi uma tentativa frustrada de uma escrita com pé e cabeça. mas eu não sou assim, eu não tenho pé, tampouco cabeça. tenho um coração imenso que dá o compasso do meu caminhar... coração este que acredita no amanhã, que acredita no hoje, que acredita no tempo, no tiempo al tiempo.

ao meu "mais melhor" e mais compreensivo amigo fito páez, desejo o desejo mais egoísta do planeta: que continue carregando minha buena estrella, iluminando minha diáfana mirada e me lembrando que o melhor a fazer, na maioria das vezes, é dar tiempo al tiempo.

e é com blush nas minhas buchechas infantis e com a certeza de que o melhor acontecerá para a gente é que começo a semana... e uma pitada generosa de individualismo vai temperar os dias que virão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário